Dilma faz um afago em Temer

Igor Silveira, Correio Braziliense

“Quero saudar o PMDB por indicar um político com tantas qualidades”. O afago ao principal partido aliado foi a primeira atitude em público da pré-candidata Dilma Rousseff após a indicação de Michel Temer para a vaga de vice na chapa petista à Presidência da República. A legenda é classificada pela ex-ministra da Casa Civil como parte fundamental de uma aliança estratégica para a governabilidade do governo Lula.

Com a aprovação do presidente da Câmara pela executiva do partido, os caciques do PT e PMDB têm, agora, mais argumentos para resolver imbróglios nos palanques de alguns estados, como o Rio Grande do Sul, onde o peemedebista José Fogaça já demonstrou interesse em apoiar José Serra, do PSDB.

“Precisamos ter cautela em relação aos acordos porque cada estado tem uma realidade. Nos próximos dias, acredito que teremos uma demonstração mais apurada de como ficarão as configurações em todo o Brasil”, ressaltou Dilma, durante um encontro com prefeitos do Partido dos Trabalhadores e de legendas da base aliada, na noite de ontem, em Brasília.

Questionada se a escolha de Temer poderia acrescentar mais experiência à sua candidatura, Dilma afirmou que não era uma política tradicional. “Posso não ter experiência eleitoral, mas a minha experiência administrativa é inquestionável.”

Dilma aproveitou a oportunidade, ainda, para explicar, ao contrário do que teria dito em uma entrevista de rádio, no início dessa semana, que não é a favor da Contribuição Provisória sobre a Movimentação Financeira (CPMF). “Eu sou contra o aumento da carga tributária. No entanto, não dá para a área da Saúde perder R$ 40 bilhões sem qualquer contrapartida. O fim da CPMF colocou os brasileiros em uma ‘arapuca’”, concluiu.”
Postar no Google Plus

About Antonio F. Nogueira Jr.

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários: