Campanha de Dilma traça estratégia para conquistar voto feminino

A campanha de Dilma Rousseff (PT) à Presidência da República desenha uma estratégia para tentar reverter a desvantagem que a ex-ministra da Casa Civil tem nas pesquisas de intenção de voto entre o eleitorado feminino. O esforço é importante, já que dados do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) indicam que as mulheres são a maioria (51,81%) entre os 134.080.517 eleitores brasileiros.

Vermelho.org

Segundo a última pesquisa Ibope, feita entre os dias 27 e 30 de junho, o principal adversário de Dilma, José Serra (PSDB), tem vantagem de sete pontos porcentuais (41% a 34%) sobre Dilma no eleitorado feminino. Porém, a mesma pesquisa indica que uma parcela importante das mulheres ainda não conhece a candidata ou não a associa como sendo candidata do presidente Lula, o que significa que há um espaço grande para ser conquistado por Dilma entre as eleitoras.

Discurso de igualdade

Os partidos que sustentam a candidatura da ex-ministra decidiram estabelecer um comitê nacional conjunto com suas lideranças femininas a fim de criar uma agenda de campanha especificamente voltada às mulheres. Dilma também deverá contar com o mesmo tipo de comitê suprapartidário em cada uma das 27 unidades da federação.

Porém, diz a secretária nacional de Mulheres do PT, Laisy Moriére, o discurso será de igualdade. "O discurso será de igualdade entre homens e mulheres no trabalho, na vida cotidiana, na vida profissional e em todos os segmentos da sociedade. [...] Vamos fazer material específico para mostrar para a mulher o porquê de se eleger uma mulher presidenta do Brasil".

Algumas iniciativas já estão em andamento. Segundo Laisy Moriére, em agosto deve ocorrer um evento nacional para aproximar Dilma do público feminino. Em setembro, os comitês estaduais organizarão uma série de passeatas. A candidata deve participar de parte delas, acrescentou a secretária petista.

Segundo o comando da campanha, a candidata vai elucidar mais propostas "ao longo do processo eleitoral" — e o combate à desigualdade entre homens e mulheres permeará todas as políticas públicas de um eventual governo Dilma. "Estamos coletando propostas de outros partidos da coligação", disse o deputado José Eduardo Martins Cardozo (PT-SP), um dos coordenadores políticos.

As diretrizes do programa de governo de Dilma pregam a necessidade de políticas públicas para "desconstruir a cultura machista e patriarcal que aprofundam a desigualdade e a exclusão social de mulheres". No programa protocolado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a questão da mulher também é abordada em capítulo intitulado Fortalecer o Estado e construir a igualdade para aprofundar a autonomia política, econômica e social das mulheres.

"O terceiro governo do PT deve ter como eixo estruturante do seu programa a construção da igualdade entre mulheres e homens", diz trecho do documento. As propostas pregam o "fortalecimento da Secretaria Especial para as Mulheres" e citam como prioridades a promoção da saúde da mulher, o combate à violência e a ampliação da participação de mulheres em espaços de poder.”
Matéria Completa, ::Aqui::
Postar no Google Plus

About Antonio F. Nogueira Jr.

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários: