A Dilma o que é de Dilma


Eliakim Araujo, Direto da Redação

“Não é qualquer país que pode se gabar de num só dia testemunhar a saída de um presidente operário e a entrada de uma presidente mulher. Dois segmentos da população que, até pouco tempo, jamais sonhariam alcançar o cargo mais alto da política no Brasil. É uma efeméride histórica que coloca nosso país na liderança dos que atingiram ou ainda lutam para atingir a maioridade política.

Queiram os não os adversários, independente de siglas partidárias ou ideologias, o Brasil sedimenta seu prestígio no campo das liberdades democráticas, o que o torna mais respeitado na comunidade internacional.

Também, queiram ou não os adversários, ao descer a rampa do Palácio do Planalto no primeiro dia do ano de 2011, Lula levou para casa um troféu que dificilmente alguém irá conquistar algum dia. O de presidente mais popular de todos os tempos, depois de oito anos de mandato. A pesquisa Sensus/CNT divulgada na quarta-feira conferiu ao presidente o índice recorde de 87% de aceitação popular e ao seu governo 83,4%.

Dilma assume à sombra do impressionante prestígio de seu antecessor, como destacam alguns jornais internacionais. Seu ministério não é o que de melhor se poderia esperar, por culpa das alianças montadas na véspera da eleição. Em nome da tal governabilidade, o brasileiro é obrigado a engolir nomes que jamais deveriam participar de um governo progressista que substitui a outro onde os pobres foram prioridade, embora os ricos nada tenham a reclamar.

No momento em que Dilma e seus eleitores são obrigados a fatiar o governo de forma a atender os “aliados” é que uma reforma partidária se faz urgente e necessária. O processo político-eleitoral estadunidense, que tem lá seus defeitos, pelo menos nesse ponto funciona muito bem. Ou se é democrata ou republicano. Todo mundo sabe quem é quem, eventualmente pode haver divergências internas dentro do partido, com a formação de grupos, mas na hora de montar um governo ele é essencialmente de um partido ou de outro.

No nosso sistema, todos os gatos são pardos. Os partidos disputam a ferro e fogo suas cotas e tentam conquistar os ministérios de maior visibilidadde já pensando nos próximos pleitos. E la nave va.”
Artigo Completo, ::Aqui::
Postar no Google Plus

About Antonio F. Nogueira Jr.

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários: