Chávez defende vaga permanente do Brasil em Conselho da ONU

Agência Brasil

“O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, defendeu a candidatura do Brasil a uma vaga permanente no Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU), se houver uma reformulação da atual estrutura do órgão. Chávez disse que a Venezuela apoia de "maneira incondicional" o ingresso do Brasil no órgão. Segundo ele, é a maneira ideal de romper com a hegemonia dos Estados Unidos no conselho.

"A Venezuela apoia de maneira incondicional o ingresso do Brasil como membro permanente no Conselho de Segurança das Nações Unidas. É a melhor maneira de romper a hegemonia que é permitida aos Estados Unidos", disse, ao se referir à iniciativa norte-americana de liderar uma campanha para a aprovação de uma região de exclusão de aérea na Líbia como forma de proteção para os civis em meio aos conflitos entre as forças aliadas do presidente líbio, Muammar Kadafi, e a oposição.

Chávez fez as declarações ao desembarcar no domingo à noite, em Brasília. A defesa da reestruturação do Conselho de Segurança da ONU faz parte da política externa brasileira. Para as autoridades brasileiras, o órgão segue a estrutura mundial pós-2ª Guerra Mundial, o que não representa as mesmas forças políticas e econômicas atuais, pois houve avanço e crescimento de vários países.

Pela atual estrutura do conselho são membros permanentes a China, França, Rússia, o Reino Unido, e os Estados Unidos. Já os assentos rotativos estão com a Bósnia-Herzegovina, Alemanha, Índia, África do Sul, Colômbia, Nigéria, Portugal, Brasil, Líbano e Gabão.

Em meio a elogios ao Brasil e declarações de amizade à presidente Dilma Rousseff, Chávez apelou para que os países latino-americanos se unam em torno de objetivos comuns. O presidente disse que é necessário afastar os "fatores exógenos" que geram ameaças de violência e comprometem a paz na região.

"Temos de consolidar nossa área como uma zona de paz. Não queremos bombardeios nem golpes de Estado. Não queremos fatores exógenos. Somos unidos e integrados", afirmou Chávez, após assinar dez acordos de cooperação com Dilma, no Palácio do Planalto.

Dilma e Chávez assinaram dez memorandos de parceria. Os acordos envolvem uma carta-compromisso para o fornecimento de nafta e derivados, cooperação nas áreas de normalização e regulação técnica, e parceria para instalação de um centro de diagnósticos para a produção de sementes na Venezuela.

Os dois presidentes também definiram parcerias para sustentabilidade socioambientais nas áreas de Sucre e Orinoco, na Venezuela, além de acordo de extensão temporária de trabalho, assessoramento para o desenvolvimento de cadeias produtivas e termos de cooperação científica na área de biotecnologia.

Apenas em 2010, o comércio entre Brasil e Venezuela movimentou US$ 4,6 bilhões, um crescimento de 11,8% em relação a 2009. As exportações brasileiras alcançaram US$ 3,8 bilhões. Os venezuelanos compram do Brasil diversos produtos, em especial frango desossado e carne bovina, enquanto os venezuelanos vendem para os brasileiros, principalmente, petróleo e derivados.”
Foto: PR
Postar no Google Plus

About Antonio F. Nogueira Jr.

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários: