Desfile em Brasília termina de forma tranquila e pacífica


Preocupação com protestos diminuiu o público do desfile cívico-militar na capital federal, que apesar do grande público, ainda tinha espaço nas arquibancadas; cerimônia teve a presença da presidente Dilma Rousseff, que chegou em carro aberto, do vice-presidente Michel Temer, do presidente do STF, Joaquim Barbosa, do governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, ministros e outras autoridades; cerca de 4 mil PMs e 150 policiais civis estão mobilizados para fazer a segurança da capital, onde são esperados 150 mil manifestantes

Mariana Tokarnia, Agência Brasil

Mesmo com grande público, ainda há lugares nas arquibancadas da Esplanada dos Ministérios, montadas para o desfile do Dia da Independência. Se no ano passado havia fila para ter acesso aos lugares, neste ano é possível assistir ao desfile sentado.

Quem foi para a Esplanada dos Ministérios acredita que as notícias das manifestações assustaram a população, já que são esperadas 150 mil pessoas nos protestos durante todo o sábado. O Exército, responsável pela área do desfile, e a Polícia Militar do Distrito Federal ainda não têm uma estimativa de quantas pessoas estão no local.

Liney Ney Oliveira, de 81 anos, não deixou de ir. Na semana, fez uma cirurgia nos olhos, a médica recomendou cuidado, mas ela, que veio para Brasília acompanhando o marido, que integrou o Regime de Cavalaria de Guarda na fundação da cidade, não poderia perder o desfile. "É sempre bom. Eu filmo e depois revejo em casa com as minhas amigas", diz.

O marido de Liney, Edson Oliveira, de 82 anos, acordou cedo para ver o desfile. O filho do casal, Sérgio Ney, de 53 anos, tomou algumas precauções, estacionou o carro o mais próximo possível, para proteger os pais em caso de tumulto.

Bárbara tem 7 anos e foi ver a parada pela primeira vez com os pais. Ela mora em Planaltina. Acordou cedo e se dirigiu à Esplanada, atraída por uma aula que teve na escola. "Eu ainda não conhecia", diz com um sorriso.
Apesar de estar ventando e de não fazer muito calor, o Exército recomenda que as pessoas bebam água e se alimentem, por causa da seca. Em toda a extensão do desfile foram montados 14 postos de atendimento básico. O Exército está preparado para medir a pressão e a glicose. Há também camas para repouso. Ambulâncias estão a postos para problemas mais graves.

Início do desfile

O desfile cívico-militar de 7 de setembro deste ano teve início às 9h15 em Brasília. A presidenta Dilma Rousseff chegou em carro aberto à Esplanada dos Ministérios. O vice-presidente Michel Temer, o presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, o governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, ministros e outras autoridades receberam a presidente.

Ao lado da estrutura montada para festa cívica, o Congresso Nacional está protegido por cercas removíveis nas laterais e um cordão de isolamento policial em frente. Ao todo, 4 mil policiais militares estão mobilizados para fazer a segurança da capital. Além deles, também estão de plantão 320 bombeiros, 150 policiais civis e 110 agentes do Departamento de Trânsito.

A segurança foi reforçada porque o feriado deve reunir milhares de pessoas em protestos por todo o país. Eles se organizaram principalmente por meio das redes sociais, a exemplo das manifestações que ocuparam as principais cidades brasileiras em junho e julho. Nas páginas na internet em que são articulados os movimentos, a menção é que hoje (7) vai ocorrer "a maior manifestação da história do Brasil", com a confirmação de presença de quase 400 mil pessoas em todo o país.”
Postar no Google Plus

About Antonio F. Nogueira Jr.

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários: