Dilma rebate o TCU: "parar obras públicas é absurdo"


Ao ser questionada sobre a recomendação do Tribunal de Contas da União, que sugeriu a paralisação de obras, como a Ferrovia Norte-Sul, e a retenção de valores em casos como o da Refinaria Abreu e Lima, a presidente Dilma Rousseff reagiu e disse ser "extremamente perigoso"; segundo ela, não há ressarcimento em caso de erro dos órgãos fiscalizadores e quem perde é a população

Reuters / Brasil 247

A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta sexta-feira que considera um "absurdo" e "extremamente perigoso" paralisar obras que estão em andamento no Brasil, porque não há ressarcimento em caso de erro dos órgãos fiscalizadores que determinam as paralisações.
Dilma fez a declaração ao ser questionada, em entrevista a rádios do Rio Grande do Sul, sobre relatório do Tribunal de Contas da União recomendando a paralisação de sete obras com recursos públicos devido a indícios de irregularidades.

(Por Pedro Fonseca, no Rio de Janeiro)

Leia, ainda, reportagem da Agência Brasil, de dois dias atrás, que noticiou a recomendação do Tribunal de Contas da União:

Sabrina Craide
Repórter da Agência Brasil


Brasília – O Tribunal de Contas da União (TCU) recomendou hoje (6) a paralisação de sete obras e a retenção parcial de recursos para oito empreendimentos. A recomendação está no relatório Fiscobras 2013, que consolida a fiscalização das obras pelo TCU neste ano. Depois de aprovado, o relatório será enviado ao Congresso Nacional e as informações nele contidas servirão para subsidiar a Comissão Mista de Orçamento (CMO) na distribuição de recursos orçamentários para o ano que vem.

As obras com recomendação de paralisação são: Ferrovia Norte-Sul, no Tocantins; construção da Ferrovia Oeste-Leste, na Bahia; esgotamento sanitário em Pilar, em Alagoas; Avenida Marginal Leste, no Rio Poty, no Piauí; construção da Vila Olímpica Parnaíba, no Piauí; pavimentação da BR-448, no Rio Grande do Sul; e ponte sobre o Rio Araguaia, na BR-153, no Tocantins.
As obras com recomendação de retenção de valores são a Ferrovia Norte-Sul, em Goiás; a Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco; o Canal do Sertão, em Alagoas; o terminal fluvial de Barcelos, no Amazonas; os trens urbanos de Salvador; os trens urbanos de Fortaleza; a construção de Adutora Pirapama, em Pernambuco; e as obras de melhoria do Complexo Esportivo Canarinho, em Roraima.

O relatório encontrou 84 obras com indícios de irregularidades graves. O Congresso Nacional vai avaliar a conveniência de fazer o bloqueio preventivo de recursos. Segundo o TCU, em razão do Fiscobras, foram realizadas 136 auditorias em obras públicas, com dotações orçamentárias de mais de R$ 34,7 bilhões.”
Postar no Google Plus

About Antonio F. Nogueira Jr.

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários: