Plano de energia é 'caminho de retomada', diz Dilma


"Presidente lança programa que vai investir R$ 186 bilhões em energia elétrica até 2018 e diz que plano anunciado pelo ministro Eduardo Braga, das Minas e Energia, "faz parte de um caminho de retomada" do crescimento do Brasil; "Os investimentos que estamos anunciando vão ampliar a solidez do sistema de produção e distribuição de energia em nosso País", anunciou Dilma Rousseff; "Faremos todas as nossas ações e esforços no sentido de assegurar o abastecimento", acrescentou; após o evento, a presidente avaliou como "muito positivas" as propostas apresentadas pelo presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL); "Olhamos as propostas com grande interesse e valorizamos muito a presença delas. Acho que essa sim é a agenda positiva para o País e mostra a disposição do Senado em contribuir"

Brasil 247

O governo federal lançou nesta manhã, em cerimônia no Palácio do Planalto, um programa que prevê o investimento de R$ 186 bilhões em energia elétrica até 2018. Para a presidente Dilma Rousseffn, o Plano de Energia, anunciado pelo ministro Eduardo Braga, das Minas e Energia, "faz parte de um caminho de retomada" do crescimento do Brasil.

"Os investimentos que estamos anunciando vão ampliar a solidez do sistema de produção e distribuição de energia em nosso País", discursou. Dilma explicou que a rede de transmissão de energia passou de 70 mil km de linhas em 2001 para mais de 120 mil km em 2014. E destacou que o Brasil tem "um diferencial imenso na área de energia, tanto por conta do etanol, como da energia eólica, solar e biomassa".

"Temos de criar novos caminhos para o crescimento nesse mundo que está muito diferente do mundo de dois anos atrás. Um dos sinais é esse plano energético, porque ele garante visibilidade numa área estratégica para todo o mundo e para a economia. Faremos todas as nossas ações e esforços no sentido de assegurar o abastecimento, essa é a sinalização que estamos dando hoje", acrescentou a presidente.

"Temos que superar os gargalos e obstáculos. Sabemos que os marcos regulatórios precisam ser melhorados para que tenhamos maior rapidez. Esse plano de energia elétrica, hoje aqui lançado pelo ministro Eduardo Braga, faz parte de um caminho de retomada", afirmou Dilma Rousseff.

Em coletiva de imprensa após o evento, Dilma avaliou como "muito positivas" as propostas apresentadas pelo presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), ao governo. "Olhamos as propostas com grande interesse e valorizamos muito a presença delas. Acho que essa sim é a agenda positiva para o País e mostra a disposição do Senado em contribuir", declarou.

Confira abaixo reportagem da Agência Brasil:

Governo anuncia investimentos de R$ 186 bilhões em energia

Pedro Peduzzi e Paula Laboissière - Com o intuito de dar celeridade aos projetos de ampliação de geração e de transmissão de energia no país, o governo federal lançou hoje (11) o Programa de Investimento em Energia Elétrica (PIEE), que prevê a aplicação de R$ 186 bilhões entre agosto de 2015 e dezembro de 2018. Do total, R$116 bilhões serão investidos em obras de geração e R$ 70 bilhões em linhas de transmissão.

Ao ampliar a oferta de energia, o governo busca ampliar a competitividade do setor, de forma a reduzir o custo da energia no país. Com os novos projetos de geração de energia a serem contratados, serão investidos R$ 42 bilhões até 2018, e outros R$ 74 bilhões após 2018. Essas obras vão aumentar entre 25 mil megawatts (MW) e 31,5 mil MW a energia fornecida ao sistema.

Serão leiloados 37,6 mil quilômetros de linhas de transmissão, a um custo previsto de R$ 70 bilhões. Deste total, R$ 39 bilhões serão executados até 2018, e R$ 31 bilhões a partir de 2018.

Entre as obras planejadas, o ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, destacou a construção das hidrelétricas de Tapajós e Jatobá, ambas no Rio Tapajós. "Nosso objetivo é fazer esses leilões até o final deste ano", disse Braga.
De acordo com o Ministério de Minas e Energia, entre 2001 e 2014 a geração elétrica cresceu 67%, passando de 80 mil MW para 134 mil MW. Em 2014, foram agregados mais 7,5 mil MW ao Sistema Interligado Nacional. Já na transmissão, o crescimento foi 80% no mesmo período, passando de 70 mil quilômetros de linhas para cerca de 125 mil, sendo que cerca de 9 mil quilômetros foram instalados no ano passado.

A energia eólica tem sido uma das prioridades do governo. Por meio do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) foram feitos financiamentos para 291 parques eólicos entre 2005 e 2014, agregando mais 7,5 mil MW na capacidade instalada do país. Com isso, a expectativa é que em 2023 as usinas eólicas sejam responsáveis por 11,4% da produção elétrica do país – o que representa uma potência instalada de 22,4 mil MW.



Postar no Google Plus

About Antonio F. Nogueira Jr.

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários: